Publicado em: 30/11/2018
NOTA DE ESCLARECIMENTO: ÁGUA DE “MINA”

Ofício 049/2018
São Lourenço, 30 de Novembro de 2018

NOTA DE ESCLARECIMENTO: ÁGUA DE “MINA”

A Secretaria de Saúde de São Lourenço, representadas pelas Gerências de Vigilância em Saúde: Sanitária, Epidemiológica e Zoonoses, através de nota profissional abaixo assinado, vem esclarecer a questão da placa fixada da fonte de água alternativa do Bairro Vila Nova, mais conhecida como “Mina do Polivalente”.
De acordo com a Portaria Federal do Ministério da Saúde n°2.914/2011 em seu Art.12, parágrafo único:
“A autoridade municipal de saúde pública não autorizará o fornecimento de água para consumo humano, por meio de solução alternativa coletiva, quando houver rede de distribuição de água, exceto em situação de emergência e intermitência”. 
A mesma legislação exige que a água destinada ao consumo humano, deve ser tratada e passar por analises diárias de controle de qualidade.
A água da “Mina do Polivalente”, por mais que pareça ser limpa e boa para consumo humano, não passa por nenhum tipo de tratamento, muito menos análises diárias para monitorar sua qualidade. Desta forma é impossível garantir que esta fonte seja isenta de germes transmitidos pela água que podem causar doenças, como diarréia bacteriana, parasitoses intestinais e formas de hepatite. Vale lembrar que uma ou outra análise esporádica que afirme boas as condições da água, não é representativa, visto que é necessário o monitoramento diário.
Por um lado, seria mais fácil o fechamento definitivo da mina, impedido o total acesso a esta fonte alternativa de água. Mas por outro lado existe a questão, desta água poder ser utilizada para outros fins, como limpeza geral, lavagem de utensílios, para dar de beber a animais, etc. Desta forma foi solicitado à retirada da placa anterior, colocando no local, nova placa com finalidade de alertar a população, que esta fonte de água, não é apropriada para consumo humano. 
As interpretações e manifestação da população frente ao exposto são de forma geral negativas, visto que a maioria não possui conhecimento técnico para avaliar os reais riscos a saúde que podem ser veiculados por uma fonte de água sem tratamento, por isso se faz necessário a ação da Vigilância em Saúde em alertar de forma informativa a população que por ventura venha fazer o consumo desta água.

A disposição para demais esclarecimento.
Atenciosamente,
_______________________________
Ricardo Frederico Pinto Silveira
Farmacêutico - VISA
CRF-MG 13.565 / Matrícula 4241