Publicado em: 08/02/2022
SAAE prepara estudo para enfrentamento e prevenção de alagamentos em períodos chuvosos

O período chuvoso representa problemas para diversas áreas da cidade com alagamentos de ruas e imóveis, impede o fluxo do trânsito e causa muita insatisfação da população. Para reduzir os impactos causados pelas inundações, o Governo Municipal, por meio do SAAE, fez uma parceria com a Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) para elaborar o Plano Diretor da Macrodrenagem Pluvial da cidade.

A UNIFEI realizará um estudo que resultará no Programa Municipal de Manejo das Águas Pluviais. Esse programa, depois de analisados os cenários atual e futuro do comportamento das águas da chuva, vai apresentar as medidas de controle que deverão ser adotadas. O plano ainda apontará soluções para o crescimento de São Lourenço em 20 anos. 

Após ter conhecimento dessas medidas o SAAE, juntamente com a Prefeitura de São Lourenço, planejará as ações que serão desenvolvidas a curto, médio e longo prazo para diminuir os transtornos causados pela água da chuva. Esse planejamento levará em conta áreas prioritárias, recursos financeiros disponíveis, entre outros.

O desenvolvimento do trabalho ainda contará com a participação da sociedade civil representada por diversos segmentos do setor público e privado. Entre as entidades que irão compor o núcleo gestor dos trabalhos estão a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Lourenço, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), Câmara de Dirigentes Logistas (CDL), Câmara Municipal e Prefeitura Municipal.

São Lourenço possui dois sistemas de macrodrenagem urbana, que são o Ribeirão São Lourenço, localizado no centro da cidade, e o Rio Verde. Ambos recebem as águas de diversos outros córregos, a exemplo do Esperança (que nasce no bairro Lagoa Seca e desagua no Ribeirão São Lourenço), o córrego da Miguela (localizado no São Lourenço Velho e deságua no Ribeirão São Lourenço) e do tijuco Preto (que nasce no Carioca e deságua no Rio Verde).

Além desses, ainda há córregos que cortam a Rua Otto Jargow, após passarem por bairros como o Barreiro e Jardim São Lourenço, e que desaguam diretamente no Rio Verde. Todo esse sistema deve ser capaz de fazer com que as águas das chuvas escoem sem causar transtornos para a população.