Publicado em: 14/07/2021
Governo Municipal já acolheu 347 pessoas em situação de rua desde janeiro de 2021

Até dezembro do ano passado quem passava por alguns pontos da cidade, a exemplo da Praça Humberto Sanches, a Pracinha da Federal, e da Ilha Antônio Dutra se deparava com a triste realidade das pessoas vivendo nas ruas. Desde janeiro deste ano o Governo Municipal vem trabalhando para retirar essas pessoas da situação de rua.

Entre janeiro e junho de 2021 já foram atendidas 347 pessoas em situação de rua pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social por meio do serviço de Abordagem Social. Essas pessoas que viviam nas ruas eram, na sua maioria, pessoas vindas de outras cidades que aqui não tinham nenhum vínculo socioeconômico ou familiar e estavam em trânsito ou passaram a morar nos espaços públicos de São Lourenço.

Para atender essa população, a Abordagem Social, vinculada ao Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), trabalha sete dias por semana com uma equipe formada por três abordadores (sociais) e dois motoristas que se revezam nos turnos de trabalho.

“Todos os dias um abordador e um motorista fazem ronda pela cidade para identificar essas pessoas. Quando detectada uma pessoa em situação de rua, é realizado um atendimento dela para identificar se ela é da cidade ou migrante. A partir daí é feito um cadastro e a pessoa começa a ser atendida com dignidade em suas necessidades pela equipe de Abordagem Social. Outra abordadora fica de plantão no CREAS para atender à demanda espontânea, além de realizar o acompanhamento da população de rua própria da cidade”, explicou Cezar Pontalti, coordenador do CREAS de São Lourenço.

“Se a pessoa é migrante garantimos seu fluxo migratório para o lugar onde ela tenha vínculo socioeconômico ou familiar. O trabalho do CREAS é trabalhar os vínculos familiares rompidos. Já os moradores da cidade que tiveram esses vínculos rompidos, são acolhidos e entram no acompanhamento pelos profissionais de abordagem do CREAS, sendo eles supervisionados por uma Assistente Social. Das 347 pessoas acompanhadas neste ano, 301 são migrantes e 46 já se estabeleceram historicamente em São Lourenço. Conseguimos até agora garantir 90% de acolhimento da população são-lourenciana”, complementou o coordenador. 

De acordo com o Secretário Municipal de Desenvolvimento Social, Marcel Carvalho, o serviço do CREAS garante a satisfação das mais diversas necessidades das pessoas. “As pessoas da cidade são acompanhadas pelo CREAS até que elas tenham condição de sair da situação de vulnerabilidade social. Garantimos que elas saiam de uma situação de risco alimentar, tenham assistência à saúde, que sejam acolhidas em umas das cinco casas de acolhimento que temos convênio, entre outras garantias básicas”, explicou o secretário.

A população em geral pode contribuir com o Serviço de Abordagem. “Ao ver uma pessoa em situação de rua, a população pode ligar no telefone (35) 99182-0576. O horário de atendimento foi ampliado e a abordagem pode ser acionada de domingo a domingo entre 8h e 21h”, disse Marcel Carvalho.

Egressos do sistema penitenciário

Ainda são assistidos pelo Serviço de Abordagem os egressos do sistema penitenciário. Quando a pessoa ganha a liberdade do presídio de São Lourenço e não tem vínculos socioeconômicos e familiar em São Lourenço, o CREAS é comunicado para que a pessoa retorne para casa e não fique na em situação de rua.